São ambas danças clássicas, com compasso ternário, progressivas e por isso dançadas em torno da pista de dança

Valsa e Valsa Vienense

O Slow Foxtrot é o representante final da “cultura da dança inglesa”. Além disso, quando o Slow Foxtrot evoluiu na primeira parte do século XX, a Inglaterra passou a ser a nação dominante na dança de competição. Aqui os primeiros campeonatos mundiais ocorreram e os dançarinos ingleses se tornaram os primeiros campeões. Se você sabe como o Slow Foxtrot se desenvolveu, você conhece a história das danças da competição.

 

O Slow Foxtrot teve sua origem no popular Foxtrot, estilo que existe até hoje e difere bastante do primeiro por ser bem mais fácil. O Foxtrot mais popular foi “supostamente inventado” em junho de 1914 por Harry Fox, que foi um artista de vaudeville, quando começou a dançar uma série de passos de trote para uma música do estilo recém criado ragtime, como parte de sua apresentação.

 

No ano seguinte tornou-se a dança mais bem sucedida da época.

 

Quando o Foxtrot viajou para a Inglaterra, os saltos e os altos jinks da dança original foram retirados, desenvolvendo assim uma dança suave e elegante, mais remanescente da Valsa do que do passado hiperativo do Trot. Na verdade, muitos dos padrões Foxtrot foram adaptados diretamente da Valsa.

 

Em 1923, no Campeonato Mundial no Queen’s Hall em Londres, foram dançados tanto Foxtrot lento quanto Foxtrot rápido, os quais, em 1924, passaram oficialmente a ser chamados respectivamente de Slow Foxtrot e Quickstep.

 

O estilo do Slow Foxtrot é dançado com passos de deslizamento suave com movimento bem controlado. Tem menos ascensão e queda do que a Valsa, pois a ênfase está na progressão.

 

Ritmo: quaternário

Acento: 1 e 3

Velocidade: em torno de 28 a 30 bpm (compassos por minuto)

 

https://youtu.be/u3-XrgOS8RI